97% dos brasileiros que vivem de forma leve sentem mais prazer na vida

  • 24/julho/2018

Estudo encomendado pela Danubio e realizado pelo IBOPE Conecta e Quantas, aponta a postura dos brasileiros diante das situações do dia a dia

Há uma máxima que diz que o tamanho de um problema é proporcional a como ele é encarado. O estudo revela que 97% das pessoas que encaram a vida de maneira leve têm mais prazer em situações diversas.

A pesquisa identificou três perfis atitudinais, com comportamentos distintos em relação à vida. Um dos perfis é o grupo Atitude Leve, que compõe 29% da população de internautas (uma alternativa é: 29% dos entrevistados). Na outra ponta, está o perfil dos Controladores, composto pelos que gostam de ter controle sobre vários aspectos da vida e que, apesar de ser menor, representa quase um quarto da população pesquisada: 22% do total de internautas brasileiros. Os demais entrevistados não estão em nenhum dos extremos e seu comportamento oscila entre uma Atitude Leve e Controladora diante da vida.

A fim de identificar qual postura é mais forte na vida de cada brasileiro, o estudo mostra aos participantes da pesquisa 38 situações do cotidiano que são provenientes de uma fase inicial do projeto, quando foram realizadas entrevistas em profundidade.

Atitudes e comportamentos do cotidiano

A partir dessas situações do cotidiano, o estudo demonstra que as pessoas de Postura Leve lidam com as adversidades do dia a dia com mais facilidade, em comparação àquelas que necessitam controlar o que acontece ao seu redor. No trânsito, por exemplo, 50% das pessoas de Atitude Leve tentam se distrair para enfrentar os engarrafamentos das cidades, enquanto apenas 29% dos Controladores optam por essa alternativa. No trabalho, 33% do primeiro grupo afirmam não se estressar, enquanto somente 15% do segundo grupo fazem essa afirmação. Ainda no ambiente profissional, 45% do segmento de Postura Leve procuram manter o alto astral, mesmo quando têm que trabalhar até tarde, porém apenas 16% do Perfil Controlador têm essa reação.

É possível notar também grande diferença com relação às posturas que afetam o estado emocional: aproximadamente 30% dos Controladores ficam pessimistas com os problemas do dia a dia, contra apenas 3% dos de Atitude Leve. Enquanto apenas 10% dos de Postura Leve sentem angústia com as notícias do dia a dia, esse número sobe para 30% dentre os Controladores.

Além disso, 40% das pessoas que têm Personalidade Controladora ficam frustradas por criar expectativas não realizadas, enquanto somente 14% dentre os de Atitude Leve têm esse sentimento.

Os prazeres dos brasileiros

Além de rastrear o comportamento dos brasileiros no dia a dia, o estudo foi além e buscou verificar o que na vida das pessoas proporciona mais ou menos prazer para cada um dos perfis atitudinais. Os prazeres do estudo envolveram dimensões bem variadas, desde o prazer Social, como tomar café com amigos e passar o dia com a família, até dimensões de caráter Físico, como tomar sol e praticar exercícios. Foram analisadas ainda dimensões que remetem ao “Eu Interior”, como “ter tempo para si mesmo”, ao Consumo, como comprar roupas e sapatos, e, por fim, à Alimentação.

Os resultados são muito distintos para cada um dos perfis. A pesquisa revela que pessoas de Postura Leve têm mais prazer nas dimensões Física, Social e do “Eu interior”, enquanto os Controladores demonstram mais prazer nas dimensões relacionadas a Consumo e Alimentação. Enquanto cerca de 29% dos brasileiros de Atitude Leve têm prazer em atividades como dar risada e passar o dia com a família, os maiores prazeres dos Controladores não estão nessas práticas, e sim em distrações como comprar roupas, sapatos e um celular novo, além de atividades mais reclusas, como passar a tarde vendo séries.

A comparação entre os dois perfis demonstra também que as pessoas que encaram a vida de forma leve possuem mais prazeres em sua rotina. Um dos pontos mais interessantes identificados é a linearidade muito clara entre atitude na vida e prazeres. “Vimos através desse estudo que há uma linha direta entre ter uma atitude comportamental positiva diante da vida e os prazeres que ela oferece: quem encara a vida de maneira positiva extrai mais prazeres do seu dia a dia”, comenta Bruno Macario, Gerente de Marketing de Danubio.

Não bastam os prazeres, o que conta é também a satisfação

O estudo mostra ainda que, tão importante quanto ter prazer, é estar satisfeito com os prazeres que a vida oferece. Aqui fica evidente que os brasileiros de Atitude Leve, além de terem mais prazeres em mais momentos da rotina, estão igualmente mais satisfeitos com o que gira em torno de seu dia a dia do que os Controladores. Esse nível mais alto de satisfação é apontado por quem tem Postura Leve inclusive em situações simples, como aconchegar-se numa cama, abraçar quem se gosta, e até em momentos de ter tempo para si mesmo e desenvolver sua espiritualidade.

A alimentação

Já no âmbito da alimentação, o estudo mostra que os prazeres não estão somente alinhados à atitude comportamental, mas também aos hábitos dos brasileiros. As pessoas de Postura Leve tendem a levar esse estilo de vida também para a alimentação: enquanto esses consideram os alimentos leves mais apetitosos, para os Controladores a preferência está em alimentos como chocolate e frituras. Além disso, enquanto 86% das pessoas de Atitude Leve têm em casa alimentos leves, como frutas, esse percentual é de 69% para os de Perfil Controlador. Já os alimentos mais gordurosos tem 46% de presença na alimentação dos Controladores e apenas 35% na do grupo de Atitude Leve.

Sobre a pesquisa

Essa pesquisa foi realizada entre fevereiro e março de 2018, com internautas, homens e mulheres acima dos 18 anos, das classes ABC, com amostra nacional de 2.006 entrevistas.

comentários

entre em
contato

NOME:
E-MAIL:
TELEFONE:
ÁREA DE ATUAÇÃO:
MENSAGEM